A importância do clima na elaboração do azeite de oliva

09 de Nov de 2020

O clima é fundamental na elaboração de um bom azeite de oliva extra virgem. 

A maturação do fruto no momento da colheita é determinante para a qualidade do azeite. O acompanhamento do ponto da maturação define o melhor ponto de colheita, rendimento de óleo e qualidade do azeite.

A azeitona mais madura gera um azeite mais adocicado, porém seu tempo de prateleira é menor porque ele oxida mais rapidamente, além de ser mais fácil apresentar defeitos. Já os frutos colhidos mais verdes têm maior quantidade de polifenóis, proporcionando um sabor mais amargo ao azeite e aroma de erva fresca.

As recomendações agronômicas fazem a diferença desde a implantação dos olivais. Todas as fases do cultivo de oliveira são diretamente influenciadas pelas condições climáticas. O plantio é recomendando em setembro, quando começam as chuvas. Em abril e maio é feita a poda. Nos meses de junho e julho, a planta diminui o desenvolvimento vegetativo em função do estresse causado pela poda, frio e seca, o que a faz florescer a partir de agosto.

Para frutificar, a planta precisa do retorno da chuva, que contribui para o crescimento, desenvolvimento e enchimento da azeitona. Também é necessária a elevação da temperatura, em torno de 22º C a 28º C, para fornecer condições térmicas as quais proporcionam o desenvolvimento do fruto e a maturação.

Por fim, para manter a qualidade do azeite, é necessário fazer a extração em até 24 horas após a colheita da azeitona.

Tudo isso funcionando corretamente, a beleza da safra resulta numa experiência única de paladar.

Em breve saberemos como será a safra 2021, aguardem! 

 

 

*Fonte: Secretaria de Agricultura de SP.

0 Comentários
Deixe o seu comentário