Entenda os biofenóis presentes no azeite de oliva

22 de Jul de 2022

O azeite de oliva é formado por triglicerídeos (97 a 99%) e bioativos (3 a 1%). Os biofenóis são bioativos que dão ao azeite seu aroma e sabor característicos. Eles existem porque o azeite não sofre nenhum processo químico na sua extração. A picância e o amargor do azeite são indicadores desses elementos, responsáveis por proporcionar benefícios à saúde.

Biofenól é um termo que abrange diversos compostos de origem botânica. Eles podem ser encontrados em várias plantas, como uvas, chás e cítricos. Alguns destes biofenóis são exclusivos das oliveiras. Além disso no processo de produção do azeite de oliva, quando as azeitonas são esmagadas, outros biofenóis surgem.

Entre os benefícios do consumo de biofenóis está o importante papel que eles exercem como antioxidantes e anti-inflamatórios, podendo auxiliar na prevenção de doenças ligadas ao envelhecimento e a processos inflamatórios. Porém, é válido lembrar que estes benefícios não são encontrados ao injetar biofenól diretamente na veia. Eles vem com o consumo de azeite novo, que possui alto teor de biofenóis, aliado a exercícios físicos e a uma dieta rica em vegetais e grãos integrais. Hábitos que auxiliam para ter uma vida mais saudável.

Função dos biofenóis nas plantas

No reino vegetal, os biofenóis têm a função de defender as plantas. Eles protegem os vegetais dos ataques físicos como o dos raios ultravioletas (do sol) e defendem as plantas dos ataques biológicos, como dos fungos, dos vírus e das bactérias.

 

Fonte: Extra Fresco - O Guia de Azeites do Brasil, de Sandro Marque

0 Comentários
Deixe o seu comentário